Ouro Preto - MG

Quase não podia esperar chegar o feriado prolongado de 7 Setembro. Uma segundona morta! Na sexta, veio o Jeová buscar minha cadela Thiza (labradora), para ficar num hotel muito chique. Começava os preparativos de viagem. Dormir de sexta para sábado (05/09) foi difícil. Madrugada, 5:00hs da manhã, fui sentido à casa de meu pai (81 anos) na capital de São Paulo, ele iria pela primeira vez a Ouro Preto, e esta seria minha quarta vez naquela linda cidade. Chegamos em Contagem (MG) perto das 13:00hs, onde reside minha sogra. Sogrinha..., porque fui agraciado com uma sogrinha muito boazinha e querida. Lá deixamos as crianças, para que pudessem fazer suas artes sob os olhares da vovó, e partimos para Ouro Preto. Após instalados, da janela do restaurante, esta vista enluarada. Era Ouro Preto cativante, e doce nos recebendo.
Ouro Preto, antiga Vila Rica, ex-capital de Minas Gerais, foi desbravado por bandeiras paulistas, e perto deste pico na foto, Pico Itacolomi, num riacho, foi encontrado ouro. Relatórios realizados, cinco anos depois, começou-se a extração de ouro no local, dando origem à cidade que hoje é Ouro Preto. Eu chamo por brincadeira, o dito cujo pico de Dedo de Deus.
Deve-se o nome Ouro Preto, ao encontro do metal precioso em rochas de oxalato de ferro (ouro paladiado), esta aí embaixo na foto, onde pode-se ver o ponto de ouro. Esta pedra tem 11 pontos de ouro. Como a pedra é  escura, deu-se o nome de ouro preto ao ouro assim encontrado. Quando ao invés de pedra, o ouro é encontrado em cristais, dá-se o nome de ouro branco. Desvendado o segredo do nome!
Deu-se então início aos passeios mais tradicionais da cidade, este é o Museu da Inconfidência. A inconfidência marcou a quebra de lealdade ao Rei de Portugal, por parte dos inconfidentes (entre eles Tiradentes e Cláudio M. da Costa, este escritor de "Marília de Dirceu"), que descontentes pelos abusivos impostos de Sua Majestade, desejavam a independência de Minas Gerais, transformando-a em país soberano. Presos, o único a bater pé e não desmentir sua participação na insurgência, foi o Tiradentes, que foi esquartejado, e a cabeça colocada na Praça Tiradentes aí na foto abaixo, para amedrontar possíveis novos ou mesmo velhos inconfidentes. Anoiteceu na praça seu despojo, mas não amanheceu, sendo o paradeiro desde então desconhecido.

Uma curiosidade da região, é a presença do Topázio Imperial, somente em Ouro Preto. Nào encontrado em nenhum outro sítio global, o Topázio Imperial é pedra preciosa símbolo de Ouro Preto, variando deste amarelo-dourado, à rosa claro. Divulgado junto com outros produtos de mineralogia, outro passeio marcante em Ouro Preto, é o Museu de Mineralogia. Na mesma praça, o Museu já foi casa do Governo de Minas Gerais, em tempos idos.
Outra preciosidade, é a arte em Ouro Preto. Esta Igreja, a de Nossa Senhora do Pilar, é uma imenssa fonte de arte, sendo de indescritível beleza, sendo adornada em madeiras nobres e 400 quilos de ouro e outros 400 quilos de prata. Uma rivalidade da época, era ter-se a igreja mais bela e rica, atraindo devotos também ricos, não necessariamente belos, sendo contribuintes fiéis às paróquias eleitas para sua devoção. Sem comentários. Mas arte é arte, e este é um local onde arte pupula por toda parte,  o barroco.
Outro passeio imperdível, entre Ouro Preto e Mariana, é a Mina de Passagem. Mina de ouro, produziu 35 toneladas do metal, tendo no auge de extração, a marca de 40 gramas por tonelada de rocha. Fechada com a marca de 4 gramas por tonelada, estuda-se sua reabertura comercial, mas hoje em dia, é explorada turisticamente, com preços meio salgados, mas vale a pena! Numa espécie de trenzinho de cadeiras, descemos 315 metros de extensão, e mais de 100 metros de profundidade, num ângulo de aproximadamente 40 graus.


Uma vez lá chegados ao fim dos trilhos, houve uma queda de energia, e inviabilizou a visita a meio passeio da mina, mas prosseguimos e nos encantamos com o que vimos. O retorno é que foi dramático, e meu pai com 81 anos, teve de subir todo o percurso a pé. Foi exaustivo. Brutal. Imaginem os escravos com cestos enormes, carregando pedras para moagem e extração do ouro. Época de selvageria e atrocidades! Ai embaixo, uma parada para descanço, já com a "luz no fim do túnel" nos animando. Meu pai em primeiro plano. Sentímo-nos verdadeiros "Lost na caverna", e ao resurgirmos da mina, não faltaram fotógrafos animados. Aventura!
As meninas Quezia (esquerda) e Daiane (direita), junto com a espivetada Lara, nos receberam muito bem. As meninas trabalham na Mina de Passagem, em sua loja, e em clima muito alegre, nos recepcionaram. Obrigado meninas!

O passeio de Maria Fumaça, entre Ouro Preto e Mariana é singular. Remete-nos a um passado mais lento e cheio de nostalgia.
A gastronomia em Ouro Preto é rica também, e na Casa dos Contos Restaurante, em clima de prisão/senzala, a comida é disputada, e os doces então..., nem se fala!
Embora com mesmo nome, a Casa dos Contos, antiga casa da moeda de Ouro Preto, em seu subsolo, encontramos a senzala. Indescritível a sensação de tristeza. Ignorância e animalidade do ser dito "humano", a senzala guarda o sentimento de dor incrustado em suas pedras. Há a exposição de artefatos de tortura, castração e utensílios da época. Coisas interessantes e terríveis, mescladas nas entranhas da senzala. Passeio imperdível! Meditação obrigatória!

Muito deixou-se de ver em Ouro Preto. Outro ícone indiscutível é Aleijadinho, um artista com dom de Deus, criando obras incríveis. Em tempo, após ser ludibriado por padres, e pago com ouro de tolo (pirita), quebrou as asas dos querubins que ele havia feito na entrada de uma das igrejas. Outro fato interessante, é o profeta Daniel, aquele da cova dos leões, que quando esculpido por Aleijadinho, fez o leão com orelhas humana e cara de macaco, pois Aleijadinho jamais tinha visto um leão. A obra pode ser vista no Museu da Inconfidência.
Este foi um resumo muito breve de minha nova visita a Ouro Preto. Indiscutivelmente, uma cidade tombada, preservando as alegrias da arte e lágrimas dos escravos. Explorada por ávidos em ouro e pedras preciosas, é uma exuberante e encantadora cidade das Minas Gerais.
As duas últimas fotos, foram capturadas em 2006, na janela de uma pousada em Lavras Novas (pertinho de Ouro Preto), e na estação de trem de Ouro Preto.


Comentários

  1. Olá Tudo, lembra de nós? Quezia e Daiane aqui da mina da Passagem. Estávamos aqui visitando seu blog e vimos as fotinhas que tiraram aqui tadinho do sr Sidney teve que subir a pé... QUE DÓ! Um Grande beijo aí pra vcs, estamos mandando as fotos. Voltem sempre!!!!

    ResponderExcluir
  2. Tuco, adorei tudo- a viagem, as fotos e principalmente a ter ido com o papai ! Você poder compartilhar com agente via blog melhor ainda.
    Confesso que não tinha o hábito de abri-lo, mas a partir de agora virou rotina! Muito legal.
    Entra no twitter e Facebook, onde eu posto algumas fotos- é em LIANEISS, quem sabe você twita também.
    Beijos muitos da sua irmã saudosíssima,
    Liane.

    ResponderExcluir
  3. Muito legal esse relato de Ouro Preto. Pela mesma época estive por lá e é incrível qdo vc passa pela Estrada Real, vagando pelas cidades, observa as dificuldades e as atrocidades por que passavam os escravos.
    É preciso mesmo ir muitas vezes para conhecemos a história viva do nosso país.
    Parabéns pelo belo relato!

    Angeline

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Olá, bem vindo a meu blog, que espero possa ter o conteúdo e enfoques que o(a) leve a refletir. Tudo feito para você, com essência e propósito.
Seus comentários são esperados e agregam sempre!
Agradeço suas impressões, opinião, experiências e presença em meu blog.

Tuco

Postagens mais visitadas deste blog

Rota 66 - EUA - "Diário de viagem"

Parque Ecológico Vale Verde - Betim / MG

Parque Sabina - Santo André/SP

Quero ser motociclista...

Brasileiro!!!!!

Boi Caprichoso Campeão de Parintins 2017