Buscando a Deus.... buscando ZAMBI...

    Aprendi, como acredito acontecer a cada um de nós, que a humanidade habitante do planeta Terra, é composta de várias "bandas", - ou melhor me expressando, deixando de lado os termos utilizados na Umbanda -, é composta de vários grupos, que por afinidade e imbuídos de vontades e necessidades comuns, formam estes grupos, quase todos rumo ao anseio de aperfeiçoamento do espírito, com sua evolução individual e comunitária.
    Várias bandas existem, como a banda dos católicos, banda dos judeus, banda dos protestantes, banda dos kardecisctas, etc... Todos a seu modo, dentro de suas afinidades e aceitação, compreensão e realização pessoal, acolhendo e promovendo a evolução do espírito simpatizante.
    Desde que o rumo apontado pela estrada que cada banda percorre, seja guiada pelas Leis de Zambi, - ou Deus como queiram -, perfeito!
    As diferenças existem, e conviver e respeitar os diferentes é necessário, agrega conhecimento e exercita o amor ao próximo. As bandas podem e são diferentes, a Lei de Zambi não, é imutável e eterna.

    Buscando a Zambi...
    Em minha busca a Zambi, nos caminhos que percorri, passei primeiramente pela banda católica, depois disto, na banda kardecista onde me sentia mais completo e finalmente hoje, caminho nos passos da banda da Umbanda.
    Muitos me perguntam o que conseguí com esta minha escolha, e muitos ficam de "beiço torcido" por esta escolha. 
    Posso responder seguramente, que o que conseguí foi uma maior proximidade a Zambi. O contínuo aprendizado, têm-me levado a alegrias e compreensões que antes não possuía. Estas conquistas são pessoais. A auto-análise, o entendimento ainda que parcial das Leis de Zambi, o exemplo e conselho carinhoso, rico em amor dos Pretos e Pretas Velhas, a proteção dos guardiões de Zambi em suas diversas linhas, o trabalho vigoroso e reto das linhas de esquerda compreendidas por Exus e Santas Almas e suas bandas, a força e coragem inspirados pelos Caboclos, a determinação e trabalho dos Baianos, a alegria e vigor dos Erês..., e tantos outros aqui não mencionados, que formam a banda da Umbanda.
    A Umbanda é formada como pode-se entender, por várias bandas, irmanadas pelo serviço a Zambi e Oxalá (Jesus), respeitando suas Leis de Amor.
    Não existe na Umbanda diferenciação a outros credos ou formas de religiosidade, sendo todos convidados a modificar-se, evoluir e harmonizar-se, tendo como ferramenta principal, o amor incondicional.
    Muitos, em várias bandas religiosas, buscam o espetacular, o impressionante, o maravilhoso..., muitos a realização de seus anseios..., outros ainda ganhos materiais..., outros a cura de suas dores físicas e espirituais.
    Os caminhos a serem trilhados e as portas a serem abertas, contudo, nem sempre estão de acordo com as perspectivas e desejos, esbarrando muitas vezes, nos empecilhos de valores errôneos e viciados de uma sociedade egoísta e imatura.
    As soluções nem sempre agradam, igualmente a reformulação íntima pessoal. 
    "Zambi nos dá não o que queremos, e sim o que necessitamos, e a necessidade do espírito é superior à necessidade da carne" (Pai Espiridião).
    " Quem deve paga, quem merece recebe " , um dos maiores fundamentos da Umbanda, lembra-nos que não somente é necessário crer, e pedir. Preciso é merecer.
    Este merecimento vem da busca, do burilamento pessoal, do reconhecimento pessoal, da vontade de trilhar seu aprimoramento e de suas retas intenções.
   Contudo, todos que participam dos trabalhos de amor nos terreiros de Umbanda, são aliviados, amados e abençoados. Vivenciar estes momentos é gratificante impulso, rumo à busca de Zambi. Todos que procuram, são por Zambi e Oxalá impulsionados e amparados, dando condições para a superação de seus entraves e imperfeições.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Hino da Umbanda

Sim à vida, não ao aborto

O que falta na Umbanda...

Umbanda é para poucos...

Rota 66 - EUA - "Diário de viagem"

Por que?

Parque Sabina - Santo André/SP

Ouro Preto - MG

Archaeopteryx...

Piracicaba - SP