Pilotar é mesmo exigente!



Excelentes dicas para rodar de moto com segurança e conforto

  • Pense que ninguém te vê 

Porque para a maioria dos motoristas, você é invisível, mesmo! Nunca faça um movimento imaginando que o outro motorista está vendo você, mesmo que você tenha acabado de ver seus olhos. Motos muitas vezes não fazem parte das cabeças de quatro rodas.


  • Seja paciente 

As conseqüências de encarar um erro ou uma disputa no trânsito começam mal e sempre acabam PIOR. Finja que foi a sua mãe que fez aquela barbeiragem e perdoe a falha.


  • Ponha roupas para encarar um acidente

Com certeza, a padaria do bairro é uma viagem de 5 minutos, mas ninguém está planejando comer asfalto, está? 


  • Pare totalmente em cada placa de “PARE”

Isso, ponha seu pé no chão. Olhe de novo. Qualquer outra maneira de fazer isso pode forçar uma decisão imediata, sob pressão e sem tempo para identificar uma situação de risco. 


  • Espere o melhor, mas esteja preparado para o pior 

Esteja pronto para uma fechada, para uma surpresa que nunca deve ser inesperada. Não existe “apareceu de repente”, “veio do nada” ou “eu achei que ele ia… “.


  • Deixe seu ego em casa

As únicas pessoas realmente interessadas em saber se você estava mais rápido que o outro na avenida são o policial e o Detran. 


  • Preste atenção no que está fazendo

Tem um ônibus na sua frente parando de repente para um tiozinho que fez sinal em cima da hora. Se ligue!


  • Espelhos retrovisores mostram só uma parte do ambiente

Nunca mude de direção ou de faixa sem olhar para trás para confirmar que você realmente pode virar ou mudar de faixa.


  • Seja paciente II

Espere mais um ou dois segundos antes de entrar na pista, começar a andar ou sair para ultrapassar. Você é pego pelo que NÃO VIU! Aquela olhadinha a mais vai salvar sua pele.


  • Preste atenção na diferença de velocidade

Passar por carros ao dobro de sua velocidade ou mudar de pista para passar por um monte de carros parados é somente um jeito mais rápido de conhecer São Pedro.


  • Cuidado com a calçada

Um monte de surpresas acaba chegando das calçadas: sacos com objetos dentro, pregos, água, lama, limo, tijolos, etc. Não rode junto à calçada, você está no tráfego.


  • Carros entrando à esquerda

Esses são os maiores matadores de motociclistas. Nunca imagine que o motorista vai esperar passarem todos os motociclistas antes de se enfiar à esquerda.


  • Carros passando no vermelho

Os primeiros segundos após o sinal mudar são os mais perigosos. Olhe SEMPRE para os dois lados antes de cruzar o semáforo depois de aberto.


  • Olhe os retrovisores

Olhe os espelhos retrovisores sempre que mudar de faixa, diminuir a velocidade ou parar. Esteja pronto para se mover se o outro veículo for ocupar o espaço onde você está.


  • Deixe espaço na frente

No Brasil se anda sempre MUITO colado. A regra geral que se usa pelo mundo é de 3 segundos de distância do veículo da frente. Melhor ainda se você observar tudo que aparecer na sua frente para os próximos 12 segundos (no horizonte). Todos os seus problemas estão aí dentro desses espaços.


  • Cuidado com os carros equipados

Eles são “rápidos” e seus motoristas são agressivos. Não imagine que você passou por ele e que está tudo resolvido, ele está logo aí atrás.


  • Entrar em curvas em alta velocidade machuca

É a maior causa de acidentes com motociclistas sozinhos e em estradas sinuosas e pistas de corrida. “Entre devagar, saia rápido” é há muitos anos a regra dos campeões das pistas.


  • Não acredite na eficiência da polícia florestal

Se na área onde você está podem aparecer animais, não vá pensar que a polícia rodoviária ou florestal vai conseguir tirar cada um deles da sua frente. Vá devagar, olhe para as margens da Estrada e fique vivo.


  • Use os 2 freios corretamente

Nunca é tarde para você começar a usar os dois freios. O dianteiro faz a maior parte da parada, mas um pouco de traseiro na entrada das curvas pode acalmar uma moto nervosa.


  • Mantenha SEMPRE um ou 2 dedos sobre o freio dianteiro

Economize um segundo no tempo de reação a 85 km/h e você pode parar 30 metros antes (e talvez até conseguir escapar do impacto). 


  • Olhe para sua trajetória

Use o milagre da fixação de objetivo em seu próprio benefício. As pesquisas mostram que a moto vai para onde você olha, então olhe para a solução no lugar de olhar para o problema.


  • Mantenha seus olhos em movimento

O tráfego está sempre mudando. Portanto, continue sempre procurando por problemas. Não trave seus olhos em um só ponto por muito tempo.


  • Pense antes de agir

Avalie com cuidado a situação quando pensar em ultrapassar rapidinho aquele veículo que está a 15 km/h numa área com limite de 60 km/h.


  • Não olhe para o chão

Levante sua cabeça, é sempre tarde para fazer qualquer coisa quando o problema está a 10 metros. Olhe lá longe e mude a direção.


  • Preste atenção em seu caminho

A maioria dos acidentes acontecem durante os primeiros 15 minutos de seu trajeto, abaixo de 60 km/h, em um cruzamento ou via secundária. É, exatamente, ali por onde você passa toda hora.


  • Nunca entre às cegas num corredor de trânsito parado

Os carros devem estar parados por alguma boa razão, e você pode não vê-la até que seja tarde demais para fazer alguma coisa. Não ande a mais de 30 km/h acima da velocidade dos outros veículos.


  • Portas de carros que se abrem no tráfego

Você deve estar atento as portas que se abrem e aos carros que desviam delas também, pulando para sua faixa. 


  • Vício de cruzamentos iguais

Procure placas de “PARE” mesmo depois de uma longa série de esquinas em preferência para você. 


  • Tenha espaço para se movimentar 

Pilotar dentro de um amontoado grupo de motos é um bom jeito de acabar no meio do mato. Qualquer grupo de motos que valha a pena acompanhar terá um ponto de encontro marcado à frente para reencontrar os “desgarrados”. 


  • De tempo para seus olhos se acostumarem

Ao sair de lugares muito iluminados, vá devagar e com farol baixo até seus olhos se acostumem com a escuridão. Fechar um dos olhos até também ajuda. 


  • Domine a meia-volta

Pratique este retorno apertado até ficar bom. Ponha suas nádegas na beirada do banco no lado contrário à curva e deite a moto para dentro da curva, usando seu corpo como contrapeso enquanto gira em cima da roda traseira. É uma excelente manobra para não bater no carro da frente ou para escapar daquele bueiro sem tampa.


  • Parando no meio de uma subida

Use o freio traseiro para manter a moto no lugar enquanto usa o acelerador e embreagem com atenção para sair sem problemas.


  • Se parece escorregadio, então é mesmo

Um trecho de chão suspeito pode ser só mais uma mancha. Óleo? Cascalho? Diesel que caiu de um caminhão? Pode não ser nada, mas é melhor diminuir ANTES de pisar num sabãozão. Se não era nada, melhor.


  • Estouro de pneu, e agora?

Sem movimentos bruscos, se prepare para usar um pouco de músculos para manter a trajetória. Alivie o acelerador e use o freio bem leve na roda boa (traseira ou dianteira) e vá procurando a melhor direção para sair da pista.


  • Pingos na viseira

Começou a chover. O asfalto apenas umedecido é muito mais escorregadio que depois de uma forte chuva tropical, e você nunca sabe o quanto ele está liso. Use máxima concentração, cuidado e suavidade nos controles.


  • Emocionado

Observe a você mesmo quando for sair. Se você está nervoso, triste, exausto ou ansioso, sente e conte até 100.


  • Vista roupas adequadas

Ponha roupas que sirvam bem em você e ao clima. Se você está com muito frio ou com muito calor ou brigando com uma jaqueta onde cabem dois de você, você já está com problemas.


  • Deixe seu iPod em casa (ao menos quando estiver rodando na cidade)

Você não vai ouvir o caminhão a tempo se estiver ouvindo música.


  • Na chuva

Pilotar na chuva é uma “arte” que se adquire com tempo, rodando nela. Se aperfeiçoa quando nos concentramos no perigo que representa. No início da chuva o piso fica mais escorregadio do que quando cai um forte temporal e teoricamente “lava” o asfalto. Sempre devemos reduzir a velocidade e nem por um segundo desviar a atenção da rota, procurando sempre desviar locais que possam oferecer maior perigo por estarem alagados ou com volume grande de água escorrendo.


  • Aprenda a fazer desvios de emergência

Esteja pronto para fazer dois desvios de emergência em seguida. Desvie de um obstáculo pela esquerda e logo em seguida de volta à sua trajetória original à direita, e vice-versa. A moto vai seguir seus olhos, portanto olhe para o caminho e não para os obstáculos. Pratique isso até que seja um reflexo normal, sem pensar.


  • Seja suave em baixa velocidade

De nada adianta sua enorme agilidade se você estiver devagar. Tire as forças dos movimentos com um trabalho leve nos freios traseiros. Isso minimiza muito indesejáveis transferências de peso e inércia, e facilita alinhar e posicionar a moto exatamente onde e como desejamos.


  • Piscar luz de freio

As setas dos outros veículos te chamam a atenção porque piscam. Pisadinhas leves no pedal ou toques rápidos no manete do freio dianteiro antes de realmente frear sua moto vai alertar o tráfego atrás.


  • Cruzamentos são todos perigosos

TODOS os cruzamentos são perigosos. Nos bairros tranqüilos mais ainda. Mesmo na preferencial sempre diminua e imagine que outro veículo que não conhece a região pode cruzar a sua frente. Diminua, assim, pela metade a chance de acidentes.


  • Ajuste sua visão periférica

Olhe para um ponto bem à sua frente. Agora procure ver as coisas ao seu lado movendo apenas sua atenção, sem mover os olhos. Quanto mais você conseguir ver sem virar os olhos ou a cabeça, mais cedo vai reagir aos problemas.


  • A noite

Ajuste e limpe seus faróis e viseiras transparentes e tenha uma visão melhor do que uma simples idéia do que está ali na frente. Ao anoitecer, troque viseiras escuras pelas transparentes. Em estradas de mão dupla procure manter-se afastado da divisória das faixas.


  • Não trafegue perto ou ao lado de caminhões

Se um daqueles pneus estourar, o que acontece com bastante freqüência, ele vai se transformar em vários projéteis de borracha e aço.


  • Paradas de emergência

Desenvolva uma intimidade muito grande com seu freio dianteiro. Procure um lugar deserto e seguro em asfalto liso e limpo. Faça dezenas de frenagens começando bem suavemente e freando cada vez mais forte até descobrir aquela força na mão ideal entre a frenagem máxima e a roda travada (frenagem máxima = pneus CANTAM ligeiramente, mas a roda NÃO TRAVA). Repita isso com cuidado MUITAS vezes até ficar muito prático. 


  • Pneus adequados

Nada do que você leu até aqui vai servir a não ser que você tenha os pneus adequados. Não os subestime. Tenha certeza que eles estão bem calibrados o todo tempo. Procure cortes, pregos e outras porcarias que tenham se prendido a eles. Procure sinais de ressecamento e desgaste. Troque logo que puder, os pneus são a essência da dirigibilidade. E não use pneus de marcas diferentes ou novo com usado na dianteira e na traseira, isso muda completamente a estabilidade da moto. 


  • Respire fundo conte até 10 ou até 100

Desculpe e peça desculpas, dê passagem e vá com cuidado, apreciando o passeio. Deixar de andar a 150 km/h e demorar para chegar é muito melhor que arruinar sua vida e ir para uma cadeira de rodas ou um caixão.


Fonte: Textos compilados e enviados pelo motociclista integrante do Conselho Consultivo do Rock Riders (www.rockriders.com.br), José Otávio Macedo de Araújo (Gugu) - 67 anos - otavio@globalplayer.com.br

Comentários

Postar um comentário

Olá, bem vindo a meu blog, que espero possa ter o conteúdo e enfoques que o(a) leve a refletir. Tudo feito para você, com essência e propósito.
Seus comentários são esperados e agregam sempre!
Agradeço suas impressões, opinião, experiências e presença em meu blog.

Tuco

Postagens mais visitadas deste blog

Ouro Preto - MG

Rota 66 - EUA - "Diário de viagem"

Parque Ecológico Vale Verde - Betim / MG

Parque Sabina - Santo André/SP

Quero ser motociclista...

Brasileiro!!!!!

Boi Caprichoso Campeão de Parintins 2017